Home COLUNISTAS Por Mair Gomes: Dia Mundial do Orgulho Autista

Por Mair Gomes: Dia Mundial do Orgulho Autista

0
Por Mair Gomes: Dia Mundial do Orgulho Autista

18 DE JUNHO DIA DO “ORGULHO AUTISTA”

O autismo é uma condição neurológica, sendo considerado atualmente um desafio para as famílias, para a sociedade médica, educacional e outros setores que precisam pensar políticas públicas para atender esse público tão específico. O autismo é um modo particular de viver e de perceber o mundo, não é melhor ou pior, é diferente. As famílias e a comunidade dos autistas se dedicam incansavelmente no processo de conscientização participando e promovendo eventos que divulguem  o tema. O espectro do autismo é carregado de uma neurodiversidade imensa, são pessoas que transitam em um mesmo indivíduo, da ausência de autonomia em AVDs (Atividades de Vida Diárias), para um quadro de inteligência e habilidades cognitivas acima do normal.

Na sociedade tal diversidade é vista como atípica pois não contempla as expectativas que as pessoas colocam como necessários para cada indivíduo como requisitos para se enquadrar em padrões de convivência e interação. Durante o ano civil duas datas buscam tornar público a luta pelos direitos dos autistas e as características do espectro. No dia 02 de abril se celebra o “Dia Mundial de Conscientização sobre o  Autismo”, nesta data é comum a realização de seminários e palestras informativas. No dia 18 de junho é o “Dia Mundial do Orgulho Autista”, este dia foi instituído para esclarecer a sociedade sobre as características únicas das pessoas diagnosticadas com algum grau do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e busca normalizar a neurodiversidade, ou seja, o reconhecimento de que o funcionamento cerebral de algumas pessoas é diferente do que é considerado típico.

Orgulho Autista, o que leva uma pessoa ou uma família dizer que tem orgulho por uma deficiência, qual o sentido da expressão, da organização para este dia. A pessoa com autismo, em especial aqueles que recebem o diagnóstico após serem adultos, entendem o diagnóstico como uma explicação para sua condição  atípica nas interações, nos estudos, no trabalho, lazer etc. Para as famílias que buscaram por um diagnóstico desde os primeiros meses de vida, cada conquista, cada palavra e cada avanço, por menor que seja, é motivo de muita alegria, de orgulho pela força que nos impulsiona e a superação de cada barreira. Mas o que mais alegra as famílias e as pessoas com autismo é perceber uma sociedade inclusiva, é sentir que seus pares se preocupam em entender, aceitar e atender as necessidades individuais de um cidadão com direitos e deveres. O número de pessoas com autismo vem aumentando muito nos últimos anos, tal situação apresenta algumas justificativas, uma delas é o fato do avanço da medicina e os protocolos de pediatria que sofreram algumas mudanças na observação e acompanhamento às crianças, e neste acompanhamento com os filhos acabam por diagnosticar um de seus pais como pertencentes aos espectro. As famílias que estão tendo acesso a informações que possibilitam a busca por um tratamento clínico e especializado para os filhos. Não existe ainda na literatura um estudo ou pesquisa que apresente a causa do autismo, sabemos que é devido a uma carga genética, mas que não é fácil identificar. O que sabemos é que apresenta resultados no tratamento do autismo são as terapias e o acompanhamento precoce com estimulação constante, a medicação se faz necessária em alguns casos devido algumas comorbidades. Na foto o motivo de nossas lutas e de nosso orgulho. Maria Paula, uma jovem que ama jogos, sabe falar inglês, que gosta de estudar e que possui um talento para desenhar, com traços e detalhes bem pequenos. 

Referências:

https://www12.senado.leg.br/noticias/infomaterias/2020/06/orgulho-autista-e-celebrado-em-18-de-junho-mas-caminho-para-inclusao-ainda-e-longo

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here