Home ADN Por Rodolpho Rocha: Conversando com Paulo Márcio.

Por Rodolpho Rocha: Conversando com Paulo Márcio.

0
Por Rodolpho Rocha: Conversando com Paulo Márcio.

O aguadocense nunca imaginou que em pleno feriado do evangélico, teria um acontecimento tão triste para se recordar, pois a exatos 12 meses, você nos deixava meu amigo. Cara, você era extraordinário, tinha um coração do tamanho do mundo, e quis o destino que essa data se tornasse um feriado municipal, para que a cidade inteira permanecesse em descanso, relembrando momentos marcantes que viveram ao seu lado.

Paulo Márcio Leite Ribeiro, ou para os amigos mais próximos, o Paulinho. Um homem com toda vida pela frente, cheio de sonhos, metas a serem cumpridas, mas que não conseguiu vencer a luta contra esse vírus maldito chamado Covid-19, e aos 50 anos de idade, você nos deixou para morar com papai do céu.

Ah Paulinho, quanta falta você nos faz, muitos “bobos” podem achar que estou me referindo a política, afinal, muitas pessoas preocuparam tanto em te criticar politicamente, que acabaram perdendo a oportunidade de conhecer o ser humano fantástico que você sempre foi.

Confesso que minha vontade era elaborar uma super homenagem em sua memória, colher depoimentos, editar vários vídeos, contar parte da sua história, mas sozinho não tive forças, e não conseguir juntar a ajuda necessária, afinal sua família ainda sofre muito com sua perda, e não se encontram em condições de falar sobre o assunto, e seus amigos? Estes, muito poucos restaram, a grande maioria estava contigo pelo que você podia oferecer, e não pelo que você era, isso que me deixa triste, saber que poucos honraram sua memória, pessoas que você tanto ajudou em vida, e dias após a sua morte, viraram as costas para toda história que você construiu, pensaram em sí próprios, mas enfim, cada um sabe o que faz da sua vida.

Sobre nossa cidade, você cometia muitos erros como gestor, e não eram poucos, se preocupava muito com grandes projetos, e as vezes esquecia do básico e necessário, mas quem convivia contigo, sabia o quanto você amava Água Doce do Norte, e no fim, o povo sempre te aplaudia, pois tinham plena consciência que você podia até errar, mas sempre tentando acertar.

Com você vivo meu amigo, eu não tenho dúvidas que Vila Nelita teria a reforma da praça finalizada, a praça do Rio Preto que você deixou encaminhada? Com certeza teria saído do papel, isso sem contar o prédio da prefeitura, que por sinal deveria levar o seu nome após sua morte, mas mesmo que demore, um dia será concluído, e essa homenagem será cumprida, afinal, você merece isso e muito mais.

Paulo, eu confesso que diante de tantas lembranças, fica difícil falar algo que não me deixe emocionado, pois minha amizade contigo durou muito pouco, mas levarei você comigo eternamente no peito, tenho em minha casa, guardado um dos presentes que ganhei de você, muito em breve vai se transformar em um troféu, porque sua imagem pra mim não será guardada como a de um político, mas sim, de um grande amigo que nos deixou, te amo demais cara, e seu legado nunca será esquecido, mesmo que algumas pessoas tentem apagar.

Logo abaixo, uma foto histórica pra mim, pois essa foi a primeira imagem oficial registrada pelo site Portal ADN, foi no dia que inauguramos nosso canal de notícias, estava-mos nervosos, na grande reinauguração da praça de Santo Agostinho, o microfone não saiu som, a entrevista ficou perdida, mas a imagem ficou eternizada, fica na paz meu amigo, quem sabe um dia não nos encontraremos.

Texto, Rodolpho Rocha, 22 de julho de 2021.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here